sexta-feira, 2 de junho de 2017

ATOS DOS APÓSTOLOS – 15º ATO – O DIÁCONO E EVANGELISTA FILIPE – Atos 8.4-40


Entra em cena, na história do cristianismo e sua expansão um personagem chamado Filipe. Ele é um dos sete que foram eleitos para um trabalho específico: servir as cestas de alimentos aos menos privilegiados procurando impedir que as viúvas dos judeus helenistas fossem discriminadas. Filipe é considerado um dos sete Diáconos eleitos em Atos 6.1-8.

Filipe está entre aqueles que, fugindo da grande perseguição contra os cristãos, deixa Jerusalém. Ele vai para o norte e chega a uma das cidades da região de Samaria, capital do Reino do Norte. O texto diz que os que saíram de Jerusalém foram pregando o evangelho e é isso que Filipe faz. Ao verem os sinais que fazia, o poder com que testemunhava, as multidões lhe davam atenção. Diz o versículo 8 que “assim houve grande alegria naquela cidade”.

No relato que Lucas faz dessa saga de Filipe ele nos coloca em contado com Simão, um mágico que impressionava as pessoas com as mágicas que fazia. Ele era chamado de “O Grande Poder”. Mas Lucas diz que quando Filipe chegou, até Simão foi deslocado e ficou atônito com os sinais que ele fazia. Ele até quis comprar esse poder, no que foi duramente repreendido.

Os apóstolos haviam permanecido em Jerusalém e quando ouviram dizer que em Samaria havia conversões enviaram Pedro e João para conferir se isso era possível. E confirmaram. Oraram impondo as mãos sobre os convertidos e esses receberam o Espírito Santo. Ao voltarem para Jerusalém iam pelo caminho testemunhando a respeito de Jesus Cristo.

Enquanto isso Deus desloca Filipe para a estrada de gaza por onde um alto oficial de Candace a rainha dos etíopes passava com sua carruagem. O tal oficial lia Isaías 53.7,8. Filipe alcança a carruagem, ouve o homem lendo (era costume ler em voz alta) e o questiona se ele sabe do que o texto fala. Então aquele oficial etíope responde que não, ao que Filipe se dispõe o esclarece aproveitando a oportunidade para pregar-lhe as boas-novas. O etíope ao ver um lugar onde havia quantidade de água questiona se ele pode ser batizado, ao que Filipe concorda batizando-o. De imediato Filipe é tirado de cena e vai surgir em Azoto próximo de Cesaréia, mais ao norte, onde evangelizava em todas as cidades.

CONCLUSÃO E APLICAÇÃO

1.   Deus usa aqueles que Ele quer, onde quer e da maneira que quer usar. Felipe foi usado por Deus como um poderoso evangelista.

2.   Os samaritanos ao longo dos anos se tornaram inimigos ferrenhos dos judeus. Agora, eis um judeu, de nome grego, entre eles, testemunhando a respeito de Jesus e apresentando-O como o Messias de quem tanto os profetas do Antigo Testamento falaram. Aquela era uma região de conflagração, hostil aos judeus. Isso fica evidente no encontro de Jesus com a mulher samaritana junto ao poço de Jacó. Portanto, quando Deus está presente ele transforma um ambiente hostil em oportunidade especial para testemunho. Não devemos temer. Precisamos estar cheios do Espírito Santo. É isso que fará a grande diferença. E fez com Filipe naquela região. “Houve grande alegria naquela cidade”.

3. Foi preciso que Pedro e João empreendessem uma viagem para se certificarem de que os samaritanos também estavam ouvindo o evangelho e crendo. O fato de orarem e imporem as mãos, segundo Lucas, é porque eles ainda não haviam recebido o Espírito Santo. Lucas diz que depois desse ato, os convertidos recebiam o Espírito Santo. Podemos crer que no caso deles a constatação de que receberam o Espírito Santo era porque eles falavam em línguas? Ora, pode ser. Todavia, não devemos crer que essa seja uma benção adicional à salvação. Nossa regeneração já é o resultado da presença do Espírito Santo em nós. É ele quem nos converte, nos regenera. (João 3.1-16). Em meu particular entendimento, se houve aqui uma manifestação do falar em línguas então isso só serviu mesmo como prova aos apóstolos, judeus convertidos ao cristianismo, de que o evangelho deve ser pregado a qualquer criatura e se ela vier a crer, será salva, assim como foi no caso deles.  

4.   O evangelho é a luz que ilumina as mais densas trevas. O evangelho é mais poderoso que qualquer poderoso mágico e ilusionista. Quando é mesmo o evangelho que é pregado, não há dúvida nenhuma de que é Deus que está salvando e agindo. Simão podia fazer mágica, mas seus “poderes” estavam bem aquém do poder do Espírito Santo em Filipe.

5.  O poder de Deus não se adquire com dinheiro. Isso é uma ofensa ao Deus todo gracioso e bom. Simão precisava mesmo se arrepender dos seus pecados. Hoje muitos pensam que podem, com suas ofertas, dízimos e contribuições financeiras, atrair o favor divino. Era isso que Tetzel pregava enquanto procurava sustentar a luxúria do Papa Leão X e do clero dos seus dias, com a venda das indulgências. Precisamos estar convencidos que contribuir financeiramente com o reino de Deus já é uma benção, uma honra, um privilégio. Com Deus não fazemos negócio. Ele não precisa do nosso dinheiro e se tivéssemos que pagar, não haveria rico suficiente para pagar o preso de nossa ofensa.

6.   Um homem, mesmo que piedoso e bom, ainda sem Cristo está perdido em seus delitos e pecados. Esse era o caso do oficial etíope, um homem temente a Deus. Ele precisou ouvir o evangelho para poder crer em Cristo e assim ser salvo. Deus escolhe seus eleitos e os meios pelo qual esse eleito será chamado eficaz e irresistivelmente. O instrumento humano para a salvação daquele oficial etíope foi Filipe, mas o instrumento sobrenatural para a sua conversão foi o testemunho a respeito de Jesus. Como disse Paulo: De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. (Romanos 10:17).

7.   Os louros das grandes realizações serão os galardões entregues na eternidade em momento propício. Filipe foi tirado de cena e levado para outro lugar. A obra de regeneração do etíope já havia sido completada e outros precisavam ouvir o evangelho.

8.   O desejo de ser batizado é um dos indicadores da verdadeira conversão. Esse foi o desejo explícito daquele etíope. Ele veio como um homem que temia a Deus. Ele veio a Jerusalém para adorar e agora volta para seu país, salvo, nova criatura, alguém que teme a Deus sob uma nova perspectiva, que busca observar a lei de Deus com maior alegria e desprendimento.

9.   Filipe batizou o etíope convertido? Sim, batizou. Mas como se Filipe não era um presbítero? Bem, ainda não havia esse oficialato na Igreja daqueles dias. As mais altas patentes da Igreja eram os apóstolos e como sabemos eles estavam em Jerusalém. O batismo aconteceu de forma legítima assim como legítima foi a conversão daquele homem.

Que Deus nos abençoe de tal maneira que por onde formos possamos, a exemplo de Filipe, testemunhar de Jesus, o Cristo. Amém!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM-VINDO E BOA LEITURA!

Fico feliz em que você visite o Blog Conteúdo. Faço parte dessa comunidade de gente que gosta de escrever e expor o que escreve sem nenhum receio de ser lido e contestado. Fique a vontade nessa minha sala de leitura. Espero, sinceramente, que meus escritos ajudem você de alguma maneira, mas principalmente do ponto de vista espiritual. Se você quiser me ajudar ore por mim e peça a Deus que me mantenha firme na fé cristã. Se você não é um cristão como eu, eu gostaria de conhecer você e falar para você sobre minha fé. É só ir na seção dos comentários e fazer contato.

Um abraço.


FAMÍLIA.....

FAMÍLIA.....
O MAIOR PATRIMÔNIO DE UM HOMEM É SUA FAMÍLIA

FILHOS

FILHOS
QUERIDOS